Câmara Municipal de São José da Lapa

Você sabia? São José da Lapa foi emancipado em 27 de abril de 1992
Painel do site
Imprimir Email

Institucional

HISTÓRIA

por Comunicação Portal Fácil

23/04/2009 10:00

 Câmara Municipal de São José da Lapa

 

Saiba mais como funciona o Poder legislativo Lapense

 

A Câmara Municipal de São José da Lapa é formada por 9 vereadores eleitos, que, por Lei, cumprem o mandato de 4 anos. No primeiro ano de cada mandato, é realizada uma reunião solene no dia 1° de janeiro para posse dos vereadores, prefeito e vice, também ocorre a eleição e posse da mesa diretora, que cumpre um mandato de dois anos, composta por presidente, vice, primeiro e segundo secretários.

 

Para cumprir suas funções, a Câmara se divide em comissões: presidente, vice e relator, além dos suplentes. A exceção é a de representação que não possui uma quantidade limite de vereadores participantes. Atualmente a Câmara possui quatro comissões permanentes, sendo elas, Justiça e Redação, Administração Pública, Defesa do Meio Ambiente e Finanças Públicas.

 

Reuniões da Câmara

 

As reuniões são, especiais, solenes, extraordinárias e ordinárias, onde são lavradas atas, que contem os principais acontecimentos nas anteriores das mesmas, são lidas e aprovadas pelo presidente. As reuniões ordinárias acontecem todas as quintas-feiras, aberta ao público, onde visitantes podem opinar, participando como oradores. Para ser orador da reunião é preciso se inscrever com um dia de antecedência e adiantar o assunto a ser tratado para se obter melhores esclarecimentos por parte do Poder Legislativo.

 

História do Município de São José da Lapa

 

O antigo povoado do século XIX se desmembrou da cidade de Vespasiano em 1992, passando assim a ser emancipada. Joaquim de Souza Menezes é considerado o fundador do vilarejo, casado com Maria Joaquina da Conceição, filha de Manoel Dias da Cunha, que recebeu de presente do Rei de Portugal um documento chamado de carta sesmaria, dando-lhe as primeiras terras do local, onde construiu a sede da fazenda á margem direita do córrego e uma capelinha, no local atualmente encontra-se o jardim da Praça Dumas Chalita que é considerado um dos cartões postais de São José da Lapa.

 

Pequenas áreas foram sendo vendidas perto da capela, formando então o pequeno povoado de Carrancas (nome dado pelos primeiros moradores a Cidade). As primeiras famílias que residiam aqui comparavam a pedreira a uma “cara” feia, monstruosa, com suas pedras escuras e com diversos formatos que se escondiam por trás das árvores, formando um rosto grande e assombroso, compondo então a palavra Carrancas.

 

Anos mais tarde a antiga Carrancas passou a ser denominada de São José da Lapa, devido a uma imagem semelhante a de São José, formada nas águas que desciam do paredão da pedreira localizado a frente da praça matriz, sendo oficializado pelo maestro Dumas Chalita.

 

No fim da década de 1940 é inaugurada no povoado de São José da Lapa a ICAL, primeira indústria de Calcinação, anos depois surge a Companhia de cimentos Itaú. A cidade então passou a ter como principal meio de produção o cal, das respectivas empresas.

 

Em 1975, o povoado passou para categoria de distrito, em cumprimento da Lei n° 6.769. Passando assim, em a 1992 a condição de Município, Lucio Molinari foi ordenado pelo então Governador de Minas Gerais para administrar São José da Lapa. Lucio administrou o município até Dezembro de 1992, quando por meio de eleições, foram eleitos os prefeito Delmo Antônio Pretinho dos Santos e o vice Élio Braz da Conceição. 

 

Atualmente, São José da Lapa é composta por aproximadamente 26 mil habitantes, suas principais fontes de renda se encontram nas industrias de mineração (Belocal e Ical) e nos laboratórios farmacêuticos. A cidade é reconhecida pela boa receptividade, bondade e cordialidade da população lapense.

 



Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página